quinta-feira, 11 de abril de 2013

ANDA O DIABO À SOLTA


DESCERAM OS DEMÓNIOS SOBRE A TERRA

Desceram os demónios sobre a Terra,
Com grandes forquilhas dilacerantes,
Vindos das profundezas dos infernos,
Desvairados, frios, horripilantes.

Seu olhar é duro, frio e demoníaco.
Reparem bem naquele olhar horrendo.
Autênticos demónios dos infernos
Em lendas demoníacas ocorrendo.

As gentes se revoltam vendo o ódio
Bradando gritos pela dor sentida
Tiram-lhes as forquilhas e os desarmam
E para o inferno os mandam de seguida!

Zélia Chamusca

NOTA: Este poema foi colocado como comentário às 10h16 de 11-04-2013 e, considerando que merece a visibilidade de post, pedi à autora licença para o publicar, o que foi atendido de forma extremamente simpática.
Muito obrigado Amiga Zélia

2 comentários:

Guilherme Duarte disse...

Um poema excelente de uma excelente poetisa.

A. João Soares disse...

Caro Guilherme Duarte,

Agradeço este seu comentário que veio reforças as minhas primeiras impressões em que me fundamentei para convidar Zélia Chamusca para autora do blogue Sempre Jovens, onde ela já colocou um belo post. Espero que o amigo vá lá deixar-lhe um comentário.

Abraço
João