terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Um pilar do poder actual

Não me parece justo quererem fazer esta cabala, este homicídio político, a um tipo tão educado, cavalheiro, simpático, cortês, palaciano, que teve a amabilidade, a gentileza de dizer a uma senhora sua colega do Parlamento que ela se vende por qualquer preço!!!

Ficam aqui os links que recebi por e-mail para que se possa ver até onde chega a malvadez dos opositores!!!

E depois, há quem diga que não há fumno sem fogo!!!

-http://alertaconstante.blogspot.com/2009/12/ricardo-rodrigues-vice-presidente-da.html

-http://5dias.net/2009/12/20/o-rodrigues-do-socialismo-democratico/

-http://arrastao.org/sem-categoria/era-um-homem-de-sucesso-era-um-self-made-man-a-voz-do-ps-contra-as-corrupcoes/

-http://www.aventar.eu/tag/ricardo-rodrigues/

2 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Os meus sinceros votos de um 2010 melhorzinho.

Que o ano que se finda seja visto como um aprendizado, porque na senda da vida, cada um de nós é um eterno aprendiz, aprendendo com as vicissitudes diárias que servem para descobrirmos os motivos de nossa actual existência.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Embora o comentário não se refira ao tema do post, como este não precisa de esclarecimentos suplementares, vou responder aos seus votos de Bom Ano.

Estamos no momento adequado para fazer um exame dos erros e acertos do ano que finda e fazer um diagnóstico do ponto em que nos encontramos, tanto em relação à vida privada como aquilo que nos cerca. E, como a um diagnóstico deve seguir-se a terapia, devemos procurar que o ano 2010 seja, para cada um, um ano de consolidação daquilo que está bem e de recuperação daquilo que precisa de ser melhorado.

Mas as coisas não melhoram por milagre mas sim por esforço bem aplicado e bem orientado. Uma força define-se por um ponto de aplicação e um sentido. É preciso ver bem onde vamos aplicar o nosso esforço e em que sentido o vamos orientar, para qual objectivo vamos lutar.

Não desperdicemos recursos em acções não produtivas. Não criemos nada que seja apenas de ostentação e que depois vá originar despesas de manutenção e de funcionamento que não sejam cobertas pelo resultado deste.

Desejo a todos acção no melhor sentido, para os melhores objectivos e que tenham o êxito desejado em todas as suas acções. Nada menos aconselhável do que a inacção e a apatia, quando se trate de algo fundamental para as suas vidas e as dos seus descendentes.

Que Deus compense os nossos esforços mais positivos.

Beijos
João