quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Corrupção. Uma lição da RDC

Segundo o Diário de Notícias, na República Democrática do Congo, o Presidente demite 3000 funcionários públicos. O responsável do Governo de Joseph Kabila garante que decisão está ligada à luta contra a corrupção.

"O afastamento abrange todos os agentes que tenham estado envolvidos na má gestão das finanças públicas", explicou à BBC o ministro dos Orçamento, Michel Lokola. Este garantiu que todos os despedimentos estão ligados à luta contra a corrupção.

Foram perto de três mil os funcionários públicos que receberam uma carta de demissão ou que foram forçados a reformar-se antecipadamente na República Democrática do Congo (RDC).

Só o Presidente Jospeh Kabila afastou uma centena de funcionários do Ministério das Finanças e outros departamentos governamentais acusados de corrupção. Centenas de outros foram forçados a reformar-se - uns por já terem ultrapassado a idade, outros de forma antecipada.

E por cá?. Parece ir fazer-se alguma coisa e Jaime Gama espera medidas concretas de combate à corrupção até Junho. É de esperar que, com, tanta demora desde as propostas do engenheiro João Cravinho, há vários anos, acabe por sair uma solução impecável, mas certamente não será tão determinante como a da RDC. Não somos muito bons na adopção dos melhores exemplos, e os políticos não estarão muito orientados para matarem a galinha dos ovos de ouro!!!

2 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Esperemos até Junho. Depois em Junho vamos esperar até ao fim do ano. Depoid do fim do ano...Já estamos habituados.
Um abraço.

A. João Soares disse...

Caro Eduardo Aleixo,

Se isto fosse um jogo de apostas, jogaria nesta sua hipótese. Já há anos João Cravinho propôs uma solução para o combate à corrupção. Até agora nada se fez e esse polvo aumentou o comprimento dos tentáculos e o à vontade com que os corruptos se movimentam No Freeport, segundo consta, estiveram os amigos e familiares de Sócrates, mas ele confessa que está inocente. Na Face Oculta Estão, entre outros, o Vara e os Penedos, dos quais Sócrates se declarou amigo, cobrindo-os com o seu manto protector, uma espécie de pressão sobre a Justiça.
Portanto, com estes indicadores, podem todos esperar que em Junho tudo continuará a aguardar vez!!!

É pena que das imitações do que se passa no estrangeiro, só se imita o que é pior. O que é bom é colocado de lado.
Para onde estaremos a avançar?

Um abraço
João