quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Abuso do dinheiro público

No meio de tanta confusão e falta de transparência, é uma bênção aparecer mais um dado para percebermos as linhas com que cosem o País. Seria mais vantajoso que houvesse ética (republicana ou, de preferência, simplesmente ética), e os políticos se orientassem por um código de valores morais que os dignificasse perante os eleitores e o estrangeiro. Depois dos pagamentos feitos pelo ministério da Educação ao Dr João Pedroso, surge agora o abuso dos recursos públicos em propaganda partidária, como se vê no artigo que se transcreve:

A 'central' do Governo
Correio da Manhã. 17 Fevereiro 2010. Eduardo Dâmaso

A história da tal ‘central’ de propaganda do Governo pode parecer uma brincadeira, mas não é: nos últimos anos o Governo de José Sócrates usou meios públicos para fazer propaganda e campanha eleitoral.

Quais? Assessores, chefes de gabinete, membros do Governo usaram o seu tempo, pago pelo erário público, instalações do Estado, meios informáticos públicos e informação privilegiada para fins de combate político.

Como o CM demonstra nesta edição, o Governo alimentou blogues de campanha eleitoral daquela forma, mas também outros que antes e depois do tempo de eleições continuaram a ser a barriga de aluguer de argumentários e documentos pré-fabricados. Há preparação para responder a questões difíceis, por exemplo com perguntas e respostas sobre o caso BPN, ou manipulação de números sobre o investimento público, como o TGV. É tudo à vontade do freguês...

Para quem ainda há menos de 15 dias enalteceu os valores da ética republicana este é um caso politicamente desastroso e de uma legalidade muito duvidosa. A utilização de meios do Estado, pagos pelos contribuintes, não consta de nenhum manual de história como um dos ‘valores’ do dito ideal republicano. O pagamento aos serventuários com as habituais benesses de nomeação para cargos também não. Mas com tal Governo tudo é possível...

Eduardo Dâmaso, Director-Adjunto

6 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro João Soares:
Muito obrigado pela visita ao meu Rochedo e pelas palavras que lá deixou.
Agradeço a oportunidade que me deu de conhecer os seus blogs que me pareceram muito interessantes. Voltarei com mais tempo para ler textos atrasados
Cumprimentos

Fernando Vouga disse...

Caro João Soares

Aqui na Madeira os dinheiros "públicos" são propriedade do partido do governo, que o usa depudoradamente em proveito próprio. Até sustenta um jornal de má qualidade e que é fornecido gratuitamente. Tudo para levar à falência do único jornal privado (DN - Madeira). Inclusivamente os empresártos são coagidos a não usarem a publicidade deste jornal!
Conclusão: o "engenheiro" não está a inventar nada...

A. João Soares disse...

Car Carlos,

Volte sempre e deixe a sua opinião sobre os temas abordados.
Um abraço
João

A. João Soares disse...

Caro Vouga,

Ninguém é perfeito e as tentações e ambição do Poder a preservar a todo o custo levam a atitudes despudoradas que fazem perder o respeito a quem o devia merecer.
Nos tempos que correm por cá, nenhum político merece que se ponha as mãos no fogo por ele. E isto podia terminar se os conselheiros fossem pessoas dignas e sinceras que dessem bons conselhos e chamassem a atenção para evitar erros crassos. Mas os yes men não ajudam a seguir a ética.

Um abraço
João

Diogo disse...

Não há memória de um PM tão corrupto.

A. João Soares disse...

Caro Diogo,
Ele está realmente a ultrapassar todos os limites decentes. No entanto tem uns seguidores fanáticos como um anónimo que assina António Lopes, em comentário no post Manifestação em apoio de Sócrates que deixou este comentário:

É curioso que alguns tenham achado legítimo que se convocassem manif´s de professores por sms, mas depois utilizem uma linguagem jocosa e irónica sobre uma idêntica forma de convocação de manifestação de apoio ao actual Governo - há democracia e liberdade para uns, e "desagravo" e "reumático" para outros? Sou socialista desde sempre, como já meu falecido pai foi e reconheço-me na luta pela Liberdade e pela Democracia que este partido sempre desenvolveu. Sinto-me indignado com a actual campanha de asassinato de carácter do Primeiro Ministro - se alguém cometeu algum crime, os Tribunais e polícias que provem e actuem, mas este "julgamento popular" de tablóides, na praça pública, deveria envergonhar quem realmente ama a Democracia e a separação de poderes. Hoje em dia qualquer um se acha no direito de insultar e denegrir José Sócrates - terá direito a lugar na primeira fila de programas de TV ou entrevista na primeira página de jornais, ainda que nada acrescente a não ser mais veneno, mais "suspeições", mais lixo verbal. É por isso que entendo quem teve a ideia de convocar esta manifestação, de forma livre e espontânea certamente, porque hoje em dia há todo um clima opressor contra o PS e contra Sócrates, misturam-se alhos com bogalhos e já só falta que se mandem prender os militantes socialistas, esses "criminosos" que, pelos vistos, já nem direito têm a indignar-se e a manifestar-se na defesa das suas ideias e de um Governo legítimo e ELEITO pelos Portugueses! Como diria a minha avó - "ora abóbora!"

Como gosto de responder a estas pessoas, um tanto vazias de discernimento, dei a resposta que pode encontrar seguindo o link do post.

Um abraço
João