quarta-feira, 15 de maio de 2013

PR DEPOSITA ESPERANÇA NUM MILAGRE


Vejamos as notícias:

Avaliação da troika foi "inspiração da nossa Senhora de Fátima"
Cavaco invoca São Jorge para pedir melhores dias

Já há quem se interrogue se a próxima reunião do Conselho de Estado terá lugar em Fátima ou num Santuário de S. Jorge.

Entretanto, na espera atenta de sinais de milagre, surge a notícia:
Cavaco diz que Portugal precisa de "boas notícias"

E que dizem a isto os elementos do Governo mais responsáveis pala gestão da vida colectiva dos portugueses, em quem já nem o PR parece depositar confiança e esperança?

Imagem de arquivo

21 comentários:

Anónimo disse...

Esperemos -o PR também espera- que esse "milagre" seja realizado por todos os portugueses. Por si também para lá de meras palavras que brota, teclinha a teclinha, dia após dia, neste sítio onde se critica quem tem palavra e quer cumprir com o desaire que o PS/Sócrates nos legou!

A. João Soares disse...

Sem dúvida que é tarefa de todos os portugueses. Sem dúvida que temos que esperar um MILAGRE, pois os governantes destes dois anos em vez de minorarem os efeitos do «desastre legado pelo Governo anterior, o aumentaram e com a mania obsessiva da austeridade, sacrificaram de forma exagerada todos os cidadãos, retirando poder de compra que se repercutiu em menor consumo, dificuldades na economia, encerramento de muitas pequenas empresas e despedimentos com um aumento dramático de desempregados. As dificuldades têm sido concretizadas de forma terrível para a maioria dos portugueses, enquanto os grandes beneficiados pelo Estado, nas fundações, nos OBSERVATÓRIOS, nas empresas públicas institutos inúteis ou de pouca utilidade, comissões, assessores.
especialistas, etc, estão a aumentar o seu património, indiferentes à crise, ou graças a ela.
Chamar a atenção dos governantes para estes abusos e para a incapacidade mostrada em os combater é o cumprimento do dever que refere de todos os portugueses.
Oxalá haja o MILAGRE de as coisas se amenizarem antes que a haja, algo parecido com levantamento popular, de consequências desagradáveis para pessoas inocentes.

Anónimo disse...

Roma e Pavia não se fizeram num dia. Todos os que agora criticam andaram estas décadas a dormir e a exigir tudo e mais alguma coisa. o Estado camuflou o desemprego e foi enfiando pessoal nas suas fileiras até dizer basta. Quem criou -e apoiou sem nexo- associações, fundações e OBSERVATÓRIOS, apoios com fundos perdidos sem fiscalização, são bem conhecidos dos portugueses que ora evitam a sua memória. Outros não têm qualquer memória porque consomem demasiado líquido que a destrói.
Mas é verdade, tem razão, a grande "culpa" é do PR actual e sobretudo do FASCISMO!! Não terá sido do FACILITISMO?

Mentiroso disse...

O Satanás a invocar os santos!

Os dois anónimos estão desactualizados. Não devem estar ao corrente de como se vive numa democracia, de como se concebe uma constituição nem do acórdão do tribunal da Islândia sobre o julgamento do seu ex-primeiro-ministro. Se assim não for, então são fascistas partidários, a maior desgraça que um país pode ter por o seu povo tomar os interesses das oligarquias como seus e votar a sua própria perda, como por cá se tem visto e que, pelo que se continua a ler por todo o lado ainda não foi suficiente para terem aprendido. É a garantia de que a desgraça e a miséria estão mesmo para durar.

A. João Soares disse...

Caro Mentiroso,

Muito provavelmente não se trata de dois anónimos mas apensa de um que, quando está com o psíquico sereno, até escreve bem com alguma lógica sequencial, embora sempre com uma subserviência fanática ao Poder.

Repare que ele diz que «Roma e Pavia não se fizeram num dia», no que tropeçou num velho ditado que a ser aplicável mostra que o objectivo que atribui ao Governo é levar o País à destruição total e ao suicídio colectivo. É isso que mostram os números acerca do agravamento do PIB, do desemprego, da fome cada vez mais alastrada, dos sem-abrigo, dos suicídios, das mortes por falta de tratamento, pois muitos doentes chegam à Farmácia com a receita, perguntam em quanto importa e dizem que só podem pagar a quarta parte e perguntam quais os medicamentos mais prioritários para o preço a pagar estar dentro das suas possibilidades.
A cortar na alimentação e nos medicamentos, as pessoas estão a «fazer a sua Roma e Pavia» e o resultado não pode estar distante.
Com a austeridade obsessiva, a espiral recessiva não pára, está-se a descambaer para o abismo e... «Roma e Pavia não se fizeram num dia».


Anónimo disse...

Pois, então, entre um mentiroso e outro psiquiatra demente, mais um anónimo, aqui vai a verdade:

Portugal há muito que se foi... E é verdade o que o anónimo -parece que se pode comentar aqui assim- diz: "Roma e Pavia não se fizeram num dia". Nestas tantas décadas de democracia e com a globalização fornicaram tudo, dia a pós dia. Mas não foram só os políticos... Pois não "china"?

Cumprimentos e delicadamente envia-se o estimado articulista para a pata que o há-de lamber...

A. João Soares disse...

Este anónimo demonstra grande realismo e concordância com o Senhor Presidente da República: a nosso última e única esperança será um milagre de Nossa Senhora de Fátima ou de S. Jorge ou de outro Santo milagreiro. E será de intensificar as preces aos Santos populares festejados no próximo mês de Junho.

É que os políticos escolhidos pelo eleitores (estamos em democracia representativa) nas quatro décadas mais recentes, não se preocuparam eficazmente em defender os interesses de PORTUGAL, dos portugueses, mas sim os da Banca e da alta finança.

Recorda-se um escrito do 3º Presidente dos EUA Thomas Jefferson, há 211 anos:

«Acredito que as instituições bancárias são mais perigosas para as nossas liberdades do que o levantamento de exércitos. Se o povo americano alguma vez permitir que banco privados controlem a emissão da sua moeda, primeiro pela inflação, e depois pela deflação, os bancos e as empresas que crescerão à roda dos bancos despojarão o povo de toda a propriedade até os seus filhos acordarem sem abrigo no continente que os seus pais conquistaram»

Washington, DC-1802

Os nossos políticos, praticantes de amadorismo,, não deram atenção a conceitos de grandes pensadores humanistas e esqueceram que a sua missão é servir os eleitores, os cidadãos, o povo que deles depende e que os escolheu para governarem e não para se governarem.

Enfim, esperemos o MILAGRE com a mesma fé com que é esperado o jackpot do euromilhões, da lotaria ou da máquina do casino.

Anónimo disse...

Sou alérgico a casinos e a jogos de fortuna e azar -para isso já bastou aquilo que um estimado coronel -Mgenreal?- fazia...
Continuo com a esperança num milagre de Fátima ou do Otelo num golpe que nos conduza ao palco da ribalta da Herdade do Sardão. E mantenho a firme convicção de que a pata o há-de lamber em breve caro articulista de meia tijela...

A. João Soares disse...

Deixo aos especialistas da parte psíquica da espécie humana a interpretação das palavras deste anónimo, nos seus insistentes comentários.

Imaginação e criatividade não lhe falta pois conseguiu ir muito longe a partir das palavras religiosas do Senhor Presidente da República.

Admiro o apreço que nutre por este blogue e o tempo que lhe dedica com os seus comentários, mas considero desnecessárias tantas insinuações e palavras que ultrapassam o direito de liberdade cívica.

Mas cada um dá o que tem e vai até onde pode e lhe é permitido pela sua formação ética.

Anónimo disse...

Na verdade o anónimo anterior já o devia ter mandado à Merdaleja à bué de tempo. Bem o avisámos que vós nao valies nadinha. Mas damos uma achega -o PR ainda é o garante desta desgraça de democracia. E felizmente que nao ê mais um incendiário da vossa estirpe. Tem filhor? Olhe por eles que bem precisam. De resto pode enfiar a sub opiniao -de que ninguém pode discordar onde quiser! Por acaso havia em Boane um cor que mandava os praças lavar os dentes aos porcos com escova e Colgate. E gostava muito dos mancebos. Quando fomos para Montepuez muito nos rimos de tal insano. Depois conhecemos homens de algum valor em combate mas a maioria dos do QP eram inopes e uns mamões que se serviam da guerra. E você deve ser dos tais.

Veterano de Moçambique

Anónimo disse...

Felizmente estamos a livrar-nos de gente da vossa laia nas forças de segurança. E a tropa está linda... está como há-de ir!
Fizeram a cama e agora deitem-se nela!

NEM MERECES MAIS TRETA!

Que nunca por vencidos nos conheçam

RCP - FAP

A. João Soares disse...

Sr ou Srª anónimo ou anónima,

Apresenta um comentário muito «esclarecedor», com «bons» argumentos que ajudam a compreender melhor o tema do post e com anedotas da vida militar em Moçambique e insinuações não explicadas nem provadas, mas com intenção bem clara.
O seu elogio ao PR é justo mas parece que exagera quando fala «desta desgraça de democracia». Parece que está em contradição com afirmações que já fez.

Anónimo disse...

Maria olha-me esta melga... Com gente desta nem Nossa Senhora dos Remédios nos vale!!!

Anónimo disse...

MASKÉISTO? NAO PASSEM CARTÃO AO HOMEM PORQUE A PARTIR DE CERTA IDADE JÁ NAO SABEM O QUE DIZEM. VOLTAM ÀS FRALDINHAS. QUE S. JORGE LHE VALHA.

A. João Soares disse...

Esta série de comentários anónimos em defesa de algo que não foi definido, fez-me recordar com saudades um comentador que, entre 27 e 30 de Abril de 2009, pretendeu defender o Primeiro-ministro Sócrates, com uma sucessão de comentários no post
Liberdade de expressão em perigo.

Mas esse comentador, ao contrário do actual (ou actuais), usava de estilo erudito e civilizado, de dialogador, de polemista, sem falhas e com coerência, com educação e civismo. Era impecável e usou diversos argumentos para procurar elevar a imagem do seu patrão. Agora, pelo contrário, não se vê objectivo positivo a favor da imagem de governantes ou outras entidades públicas e é claro o baixo nível de linguagem, de anedotas e de insinuações difusas do tipo «pontapé para a frente e fé em Deus».

Será que este (ou estes) «comentador» será o melhor defensor da imagem do PM Passos Coelho? Será que pensa que é assim que eleva a confiança que a Nação deve ter no seu eleito? Pensará que, com estas grosserias, os portugueses sentem mais reforçada a sua esperança num futuro melhor?

Oxalá Cavaco Silva consiga o milagre que foi referido no post.

Anónimo disse...

O homem que apela a Seguro contra o Presidente da República de Portugal é um homem velho e senil. Voltou à sua juventude revolucionária!

Deixe que lhe lembre que nao nos deixou saudade alguma na guarda!

GENTE COMO VOCÊ ESTÂO SEMPRE A MAIS!

Damos um conselho:-) Vá descansar que o vosso tempo foi! PASTOR! NAO ESQUEÇA AS ORIGENS E SEJA MAIS HUMILDE RESPEITANDO AS OPINIÕES DOS SEUS COMENTADORES!

A. João Soares disse...

Mas estes tristes comentadores sem ideias nem argumentos são apenas arruaceiros provocadores que ficam muito abaixo do valor do referido comentador que pretendeu defender Sócrates em Abri de 2009

Mentiroso disse...

Realmente, o que os povos dos países democráticos europeus pensam e afirmam dos portugueses está aqui bem comprovado. Vivem numa estrumeira oligárquica e julgam-se em democracia (como se lê nos comentários). Sabem o que aconteceu aos fundos europeus de coesão que foi o um dos dois golpes que atiraram o país para a miséria. Sabem como os políticos roubam e os tarados os aprovam (como também se lê). Sabem que o Cavaco destrui o país, destruindo todo o tecido produtor e que os tarados votaram repetidamente no seu carrasco. Sabem que gente assim é incapazes de se autogerir, nem os seus próprios bens. Sabem que nada há a esperar duma juventude que foi criada por trastes anormais. Concluem que é um país de atrasados mentais. Não têm razão a não querer dar pérolas a porcos, financiando incapazes? Enquanto houver estúpidos e cobardes deste teor não há esperança para Portugal, como não haveria para qualquer outro país em condições idênticas. A ignorância e a estupidez são tão profundas que nem enxergam 10cm à frente na estrumeira que fizeram e em que nadam. Pior, como não vêem o reflexo desse atraso mental são incapazes de se regenerar.

A esperança deste presidente-monstro em milagres, define a capacidade e competência dos governantes de todos os sectores.

A um ignorante que nem distingue o verbo haver da contracção dum artigo com uma preposição, o mais razoável seria tratá-lo por isso mesmo, não fosse o pedantismo que o torna execrável. «Com gente desta nem Nossa Senhora dos Remédios nos vale.» Alguém se lembra do que se dizia entre cerca de 1985 e 1992 da rapaziada de então e do que viria a ser Portugal quando eles crescessem e substituíssem os pais? Enquanto estes abortos rascas e os filhos que eles criaram à sua imagem não morrerem não há esperança para o país. São duas ou três gerações a mais, que como a má erva custam a secar. Produtos típicos da Abrilada. Têm o governo que merecem e os seus filhos o fim que os pais lhes prepararam. É só esperar para ver. Nada de pressas, tudo a seu tempo.

A. João Soares disse...

Caro Mentiroso,

O caso não é tão grave porque não se trata de vários anónimos mas de apenas um. Meio demente, passa por momentos de loucura agressiva separados por outros em que aparenta ser bom rapaz.

Um pobre diabo que nem sequer tem capacidade para analisar o que lê. Critica-me por não aceitar outras opiniões, o que mostra que não percebe que aceito todas as opiniões e respondo a todos os comentários escritos em termos decentes. E para mais, o pobre nem sequer emitiu uma opinião, não argumenta, não rebate qualquer afirmação minha, de forma inteligente e convincente. Considera-se senhor absoluto da verdade e não respeita opiniões alheias. E é curioso que nunca disse as razões porque foi dispensado da Instituição a que pertenceu.

Caro Amigo, agradeço este seu comentário, com os seus imbatíveis argumentos

Cumprimentos
João

Mentiroso disse...

Enfim, o indivíduo encaixa-se perfeitamente no quadro do meu último comentário. Daí a sua desorientação, da qual nem se dá conta, o que é típico de tais casos tão comuns por estas bandas.

Mário Relvas disse...

Caríssimo AJS,

Mais do mesmo?

Quando vi 20 comentários pensei que havia um sério debate em torno da postagem. Afinal a montanha pariu um rato e eu nem comento. Lembro-me de que fui alvo de muitos ataques por parte de gente bem identificada no meu blog mas não me fez mossa. Voltarei ao blog sempre que o entender. Com os comentários controlados por causa das coisas. Por isso reparei ao colocar hoje o primeiro comentário que estes estavam em moderação...

Enfim, desejo um bom Domingo que está fresco embora com sol!