quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Mais tempo para quê ???


Perante o desastre do Governo na gestão do País, Gaspar diz que precisa de mais um ano para cumprir a promessa do défice. Por seu lado, por solidariedade corporativa, a comissária europeia aceita que Portugal vai precisar de «mais tempo».

Mas a observação, mesmo que muito superficial, dos acontecimentos dos últimos 20 meses mostra que mais tempo será mais recessão, mais descalabro nacional, mais esmagamento das vidas dos cidadãos. Tem sido esse o efeito da actividade dos nossos «técnicos» e «sábios». Deviam ter sido substituídos logo que foram detectados os primeiros erros graves que os obrigaram a fazer recuos, alterar a austeridade para pior, confessar erros de previsão, etc. Com mais tempo continuarão a enterrar o país, como têm feito, com arrogância e teimosia obsessiva. Não se pode esperar que façam melhor do que aquilo que já mostraram saber fazer.

Imagem de arquivo

2 comentários:

Jorge P.G disse...

Não só não farão melhor do que até agora, como farão crescer a dívida, para gáudio de quem nos empresta o dinheiro.

Um abraço.

A. João Soares disse...

Caro Jorge PG,

Eles até podem ser geniais a recitar frases de cientistas do século passado que já nessa altura se baseavam em factos ocorridos anteriormente. A ciência tira conclusões de realidades anteriores. Já na altura em que conceituados cientistas chegaram a tal norma ou lei, podiam estar desfasados da realidade vigente.

Agora, passados tantos anos, com a complexidade actual, em que tudo muda a velocidades siderais, como pode um dos nossos «sábios» impor um decisão teórica, desprezando a realidade e as circunstâncias do nosso país, usando argumentos de isto vai ser assim, custe o que custar, doa a quem doer, posso, quero e mando???

Para mais, há o erro sem qualificação de, depois de verem os maus resultados da obstinação inicial, continuarem a ministrar o mesmo tóxico mas em dose reforçada. Com isso, o que se esperava da saúde do doente??? Qualquer médico mudaria de medicação prescrevendo medicamento diferente. O que se pode esperar de tais governantes???

Muitas promessas foram feitas, com palavras balofas, como as de Relvas que não deitam o mínimo sumo por mais que se esprema.

Nada tem sido feito (se tivesse sido, não deixaria de ser objecto de propaganda) para reduzir ou eliminar despesas escandalosas como as feitas com fundações, observatórios, mordomias, quantidade de assessores, «especialistas» e deputados, carros e outras mordomias, empresas publicas e municipais, etc. etc.

Mas, além destas cogitações, haverá o que o amigo sugere, o conluio com os poderosos da finança mundial que depois manifestarão a sua gratidão com tachos aos nossos políticos quando deixarem os cargos...

Em questões políticas tudo é possível, principalmente em países terceiromundistas em que a Justiça não quer molestar os poderosos.

Abraço
João